Weby shortcut
Prograd - Pró-Reitoria de Graduação
UFG - Universidade Federal de Goiás

Engenharia de Transportes - Bacharelado - Goiânia

Atualizado em 09/02/17 11:25.


Turno: integral. | Duração: dez semestres. | Vagas: 40. | Câmpus: Ap. de Goiânia. | Ingresso: 1º semestre

Sobre o curso de Engenharia de Transportes
A característica do profissional de Engenharia é a capacidade de engenhar, ou seja, conceber, engendrar, idear, inventar soluções para as demandas da Sociedade1. Neste sentido, a formação em engenharia precisa ser baseada em concepções de ensinar e aprender que desenvolvam a capacidade de criar, gerar, aperfeiçoar e derivar do conhecimento disponível, soluções para as demandas de bens e serviços para a sociedade.

Na maior parte do tempo, em uma sala de aula tradicional, os estudantes se envolvem apenas passivamente na aprendizagem, isto é, apenas ouvem o professor, eventualmente olham para uma transparência ou slide e, quando cobrados, leem o livro texto. Pesquisas realizadas mostram que esse envolvimento passivo leva a uma retenção limitada do conhecimento exposto aos estudantes.

Dentro da concepção metodológica da Aprendizagem Baseada em Problemas, o currículo do curso de Engenharia de Transportes foi estruturado de forma a oferecer um embasamento teórico e visão sistêmica, com vistas ao desenvolvimento de projetos, atividade esta presente na vida profissional de todo engenheiro de transportes. Outro diferencial do curso é a possibilidade do discente optar por se desenvolver em linhas do setor de transporte:

Logística;

Tecnologia;

Planejamento;

Infraestrutura; e

Gestão e Políticas Públicas.


Profissão
O engenheiro de transportes possui como principal objeto de sua atuação os sistemas de transporte. Esses, por sua vez, são entendidos como subsistemas de um sistema social, nos quais os artefatos (engenhos, produtos produzidos pelo homem) têm lugar fundamental para o atendimento de demandas da sociedade. Nesse sentido, o perfil do engenheiro de transporte deve ser fortemente humanizado, de forma a poder produzir soluções de engenharia que sejam compatíveis com o contexto no qual serão implementadas, e cientes das restrições diversas postas ao desenho dessas soluções.

Por esse motivo, o engenheiro de transportes deve ser capaz de reconhecer e analisar problemas de transporte dentro de seu contexto social (que inclui suas dimensões econômicas, políticas e culturais), articular diferentes tecnologias e conhecimentos para produção de soluções viáveis, efetivas e eficientes, que viabilizem as atividades ou interesses que os demandaram de forma sustentável.

Entende-se, também, que o engenheiro de transportes deva se articular de forma adequada às demais especialidades da engenharia (civil, ambiental, de produção, elétrica, mecânica), Arquitetura e urbanismo, Geografia etc. Sabendo integrar seu saber peculiar aos demais saberes para o desenvolvimento das soluções de transportes. Deve, ainda, ser capaz de construir conhecimento e relação estreita com o mercado e o setor público, garantindo, assim, a viabilidade e aceitabilidade de suas proposições.

E, tendo em vista as políticas e iniciativas educacionais para o setor, considerando os lugares dos tecnólogos e técnicos em transporte, o engenheiro de transporte deve possuir uma formação capaz de integrar e dialogar com esses profissionais nas situações de trabalho, tanto no contexto empresarial quanto público.

Esse tipo de atividade exige uma visão ampla da matéria e uma cultura interdisciplinar, eis que se, de um lado, sua atividade irá abranger o desenvolvimento e a aplicação de tecnologia de infraestruturas, veículos e equipamentos, o planejamento de sistemas de transporte, o planejamento, a organização produtiva e gerencial dos serviços, assim como a gestão dos instrumentos financeiros e jurídicos-institucionais, de outro, terá de inserir essa ação profissional em um contexto mais amplo, que abarca o desenvolvimento urbano e regional, o desenvolvimento industrial e tecnológico, mas também o desenvolvimento social, o equilíbrio financeiro das ações e a preservação ambiental e dos recursos naturais. Isso requer do profissional uma visão e uma postura ética e política, e justamente por se tratar de um assunto complexo e interdisciplinar, a capacidade de trabalhar em equipe.

 

Listar Todas Voltar